Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição de PG nº 5 | 01/02 | O SIGNIFICADO DA INSIGNIFICÂNCIA

Publicado por: rutesouza

“É semelhante ao grão de mostarda que um homem, tomando-o, lançou na sua horta; e cresceu, e fez-se grande árvore, e em seus ramos se aninharam as aves do céu.” Lucas 13:19

Na maioria das vezes, Jesus usava os elementos da natureza para extrair lições, principalmente sobre Seu reino. O grão de mostarda foi usado duas vezes por Cristo, aproveitando a sua aparente insignificância para lhe dar notoriedade. Em um dos momentos, uma lição sobre fé e depois, sobre o avanço do Reino. Seu nome científico é Sinapis Nigra. Ele era cultivado nos hortos da Palestina, pelas propriedades medicinais.

Jesus afirmou que ele era o menor das sementes. Havia um dito popular sobre comparação de tamanho entre os judeus, que dizia, “pequeno como um grão de mostarda”. Na Palestina, a mostardeira alcançava facilmente três metros de altura, ela não era a maior das árvores, mas a julgar pela sua semente, ninguém diria que chegaria a tal ponto.

Essa parábola nos remete ao fato de subestimar o poder dos pequenos começos, principalmente se tratando do Reino de Deus. O homem mantém o foco exclusivamente na semente, Deus enxerga uma árvore de benefícios múltiplos. Sem dúvida, poderíamos aplicar tal contexto ao Reino de Deus através da igreja, mas queria trazer esse assunto para um patamar mais íntimo. Assim, a obra da graça no coração é pequena a princípio. É dita uma palavra, um raio de luz projetado na alma, exercida uma influência que é o início da nova vida. Quem pode medir os resultados? De fato, os resultados daquela semente julgada insignificante são aplaudidos pelo Céu. Talvez você ainda não consiga enxergar os avanços espirituais na sua história, mas eles estão brotando dia a dia e serão evidenciados cada vez mais. Um dos tesouros escondidos nessa parábola é que em alguns momentos, o Reino visível ou invisível de Deus parece não ter progressos, mas algo está acontecendo, e se você continuar permitindo, surpreenderá a todos.

1.            Você costuma julgar as coisas pela aparência?

2.            Alguma vez você já duvidou se o seu cristianismo era genuíno?

A parábola do Grão de Mostarda deve ser no mínimo empolgante e alentadora, pois nos lembra que:

• Não devemos questionar os pequenos começos se eles são obras de Deus. • Deus vê muito além do óbvio.

• Somos uma obra inacabada de Deus e antes de julgá-la, devemos descansar na seguinte promessa: “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” Fl 1:6.

Quando tudo que você vê é um grão de mostarda sem perspectivas, os olhos de Deus enxergam um futuro alentador.