Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

O Contador de Histórias [Ep 8] Batendo na porta do Céu

Uma pobre viúva grita tentando chamar a atenção de um corrupto juiz: “Julga a minha causa contra o meu adversário” (Lc 18:3). O juiz não
lhe dá atenção. Mas ela é imparável. Ela insiste,
persiste e não desiste.
Todos já enfrentamos o dilema da oração não respondida. E como isso dói! Às vezes nossos motivos são pecaminosos, às vezes nos falta sinceridade, mas outras vezes, nos falta perseverança. Contudo, antes de entrar neste tema, é importante ressaltar que Deus não quer que vivamos num estado de paranoia espiritual, procurando os motivos pelos quais nossas orações não são respondidas. É melhor acreditar que Ele sabe o motivo de estar negando ou adiando a resposta dos nossos pedidos.
Além do mais, a oração não deixa de ser um exercício. Orar é malhar os músculos da fé. E qualquer pessoa que já foi a uma academia sabe que o princípio da hipertrofia é a repetição. Da mesma forma, se você quiser fortalecer a sua fé, você vai ter que repetir este ato até que um dia
sua fé será capaz de mover as montanhas em seu caminho.
É importante perceber também, o motivo da oração da viúva. “Ela gritava a fim de remover o seu “adversário”, não o seu problema. Nós nos confundimos, às vezes achando que só por que nós temos uma necessidade, Deus deve nos responder ao nosso modo e no nosso tempo. Isso significa deixar a necessidade nos governar e não o Senhor. Independentemente do que você está passando agora, a sua necessidade pode até
ser a sua resposta!” (Sandra Querin).

  1. Como você lida com as suas orações
    não respondidas?
  2. Você já desistiu de orar por algo ou alguém? Por quê?
  3. Você ora mais quando tem problemas?
    Você acha isso certo?

Wesley Duewel escreveu: Por quanto tempo os discípulos se demoraram em Jerusalém? “Até serem revestidos de poder do alto” (Lc 24:49). Por quanto tempo Moisés permaneceu com as mãos erguidas a Deus em oração? Até Amaleque ser completamente derrotado (Êx 17:13). Por quanto tempo Josué segurou sua lança na direção de Ai, enquanto o exército a atacava? Até ela ser destruída (Js 8:26). Por quanto tempo Elias ficou de joelhos em oração perseverante após três anos de seca? Até aparecerem nuvens no céu (I Rs 18:44). Por quanto tempo Jesus orou no Getsêmani? Até Satanás ser derrotado. Por quanto tempo os discípulos permaneceram em oração no cenáculo? Até o Espírito Santo ser derramado sobre eles. Não importa qual é o nosso pedido de oração, se Deus nos guiou a orar por uma necessidade que cremos ser da vontade dEle, por quanto tempo devemos orar? Até chegar a resposta. A próxima história do Contador vai desafiar o
preconceito e a religião. Até que ponto podemos ficar vulneráveis para ajudar a outros? Você precisa vir para saber!

Desafio Prático: Vamos eleger um motivo de oração em nosso #pgmystyle e orar por isso até que Deus nos atenda.

A oração […] comove o céu – Ellen G. White