Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 51 – 22 de dezembro – Solidariedade: amor em ação

Publicado por: rutesouza

SOLIDARIEDADE: AMOR EM AÇÃO

“Quem tiver duas túnicas, reparta com quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo.” Lucas 3:11

Solidariedade é o substantivo feminino que indica a qualidade de solidário e um sentimento de identificação em relação ao sofrimento dos outros. Tem origem no francês “solidarité” que também pode remeter para uma responsabilidade recíproca.

Em muitos casos, a solidariedade não significa apenas reconhecer a situação delicada de uma pessoa ou grupo social, mas também consiste no ato de ajudar essas pessoas desamparadas.

Ser solidário consiste, não em receber, mas em dar, independente de raça, cor, status, credo e do sentimento de compaixão.

Você tem sido “termostato ou termômetro”?
Talvez você pergunte: Qual é a diferença entre estes dois termos e qual deles me representa? É simples, termômetros apenas registram a temperatura (quente ou fria). Eles refletem apenas o ambiente. São indicadores, não agentes ativos. Registra a
febre dizendo que estou doente, mas ele mesmo não pode fazer nada para propiciar a cura. Pessoas termômetros são assim: registram o ambiente; isso é tudo.

Os termostatos também registram a temperatura ambiente, mas eles não se limitam a isso. Trabalham para a mudança do ambiente, a fim de melhorá-lo. Assim, são as pessoas termostatos: elas registram a temperatura, descobrem as necessidades
especificas e, então, avançam melhorando o ambiente. São agentes de mudança. Concordo com Martin Luther King quando disse: “Devemos ser o termostato da sociedade em vez de seu termômetro. ”

As duas palavras, (termômetro e termostato), soam de maneira semelhante, mas cada um deles desempenha uma tarefa diferente. A diferença principal entre os dois é a conexão. De igual forma, o grande diferencial entre as pessoas termômetro
ou termostato é se, de fato, estão conectadas. Elas devem estar conectadas a Deus, desejando, ao mesmo tempo, estar  conectadas às pessoas em sua comunidade. Elas trabalham com a comunidade a fim de melhorá-la, satisfazer-lhe as necessidades e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Os indivíduos termostatos creem piamente na declaração de Jesus em João 10:10, tentando reger suas vidas dessa forma: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. ” Há quem considere João 10:10 como a síntese da mensagem
adventista. Nesse verso, Cristo está preocupado com a qualidade da vida humana – com sua vida, nesse momento, e não apenas na eternidade. Se o próprio Jesus está preocupado com isso, não deveríamos estar também? John Andrews já dizia: “encontre um campo de trabalho, peça a ajuda de Deus, pegue o paletó e ataque o trabalho. ” Que trabalho? O trabalho de mudar o mundo por amor à paixão de Deus pelo perdido, por aquele que sofre a devastação provocada pelo pecado em sua vida.

Com a ajuda de Deus, podemos nos levantar e nos unir à comunidade, dando ocasião à manutenção da vida de seus habitantes, em vez de apenas nos resignar e lamentar a respeito da situação degradante que os cerca. Certamente, podemos ser como termostato quando conectados a Deus, cheios do poder do Espírito Santo. No livro Parábolas de Jesus na página 363 temos esta certeza: “se nos entregarmos completamente a Deus, e seguirmos Sua direção em nosso trabalho, Ele mesmo
Se responsabilizará pelo cumprimento. Não quer que nos entreguemos a conjecturas sobre o êxito de nossos esforços honestos. Nem uma vez devemos pensar em fracasso. Devemos cooperar com aquele que não conhece fracasso. ” Talvez Deus não lhe peça para construir lares com cimento e tijolos. Porém, Ele nos chama para construir e restaurar nossas comunidades mediante o serviço abnegado em nome de Jesus. Ele pode abençoar e multiplicar até mesmo as “pequenas coisas” que fazemos. Você e eu estamos dispostos a nos associar a Deus a fim de melhorar o ambiente atual no qual estamos inseridos? Servir a comunidade com altruísmo, em nome de Jesus, isso é evangelismo!

“A menos que haja sacrifício pelo bem de outros, no círculo da família, na vizinhança, na igreja e onde quer que estejamos, não seremos cristãos, seja qual for a nossa profissão, (…) Ao vermos seres humanos em aflição, seja devido ao infortúnio, seja por causa do pecado, não digamos nunca: Não tenho nada com isso.” Desejado de Todas as Nações, (edição de 1979), p. 484.

PARA DISCUTIR

 

1. Seu relacionamento diário com Deus tem, de alguma maneira, despertado em você o desejo de fazer algo pelo próximo?
2. O que tem impedido os jovens de se envolverem em trabalhos sociais?
3. Cite alguns projetos solidários que deveríamos desenvolver a curto e médio prazo.
4. Existe alguma relação entre projetos solidários e dons espirituais? Comente.
5. Quais são os benefícios para os membros da igreja quando estão envolvidos no bem-estar da comunidade?

CONCLUSÃO – APELO

Deus nos chama para darmos as mãos e reerguer nossas comunidades com altruísmo e amor desinteressados. Estamos dispostos a nos unir com Deus para melhorarmos o nosso ambiente atual? Será que sonhamos tão alto que, a não ser pela intervenção divina, não iremos concretizar nada? Jesus estava envolvido nos “negócios” de Seu Pai com o objetivo de “destruir as obras do Diabo” (I João 3:8). Nós como discípulos, estamos envolvidos nos “negócios do pai, ” para desfazer o que o inimigo tem feito? Isso requer que sejamos propositais. Não é suficiente nos acomodar, registrar ou lamentar a situação vigente. Não peça a Deus para guiar seus passos se você não estiver disposto a caminhar. Não é suficiente concordar com o sermão dizendo “amém, ” se ele não afeta as nossas mãos. Que a nossa oração seja: “Senhor, torna cada um de nós um termostato. Hoje, e a cada dia, ao passo que nos associamos a Ti com sinceridade, e a nossa comunidade, para consertarmos
e restaurarmos a vida daqueles que nos cercam. ”

VERSOS BÍBLICOS USADOS NA LIÇÃO
Lucas 3:11; João 10:10 e I João 3:8.

Pr. Josimar Martins
Distrital Associação Pernambucana