Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 24 – 15 de junho – As finanças e a Palavra de Deus

Publicado por: rutesouza

AS FINANÇAS E A PALAVRA DE DEUS

“Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé…” I Tim. 6:10

Qual é o pensamento secular sobre o dinheiro? O dinheiro é usado como instrumento de  poder, como arma de controle. Por causa do dinheiro famílias se desintegram, amigos rompem a amizade, as pessoas brigam e até matam e morrem. Mas o que significa ter ou não ter o dinheiro? Para muitos, o dinheiro representa segurança, conforto, liberdade, status, poder, etc. Contudo, para uma boa parte da população, não ter dinheiro significa medo, insegurança, inferioridade, ansiedade, sofrimento, etc

O assunto financeiro é tão importante que em toda a Bíblia há 2.342 referências ao dinheiro e possessões; três vezes mais que o amor, com 789 referências. 2/3 das parábolas citadas por Jesus envolvem finanças.

Deus sabe a importância que o dinheiro exerce nas relações interpessoais, conjugais e espirituais.

Existe uma íntima conexão entre a vida espiritual e as posses. Os critérios que usamos para ganhar e gastar o dinheiro, e o tempo que dedicamos para isto, afetam profundamente nossos relacionamentos – com Deus e com a família.

O que é mais importante para mim, ficar rico ou ter um bom casamento, uma família bem alicerçada nos caminhos do Senhor? Quanto do meu dinheiro invisto nas coisas espirituais, e no fortalecimento de minha família?

O Senhor deixou claras as orientações em Sua Palavra, acerca deste assunto, tanto para os mais abastados, quanto para aqueles que nada têm: “…Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.” Lucas 12:15 E continua: “Quem ama o dinheiro jamais dele se farta…” Ecles. 5:10

O dinheiro é algo fundamental na vida de qualquer um. Com ele é possível realizar sonhos, alcançar metas, viver confortavelmente. Para alguns é sinônimo de felicidade, para outros representa poder. Para os homens representa carros, imóveis, bens; uma forma de mostrar
a sua personalidade. Para as mulheres significa beleza, elegância, conforto, segurança.

Dificuldades financeiras são os maiores fatores que contribuem para separações e divórcios. O amor ao dinheiro divide famílias! “Quem cuida da saúde financeira da família está garantindo em 50% a continuidade do relacionamento conjugal.” Samuel Marques, consultor financeiro.

TÓPICO 1
O uso do dinheiro revela que valores são realmente importantes para mim. Jesus disse: “Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” Mat. 6:21.

E, a maneira como uso o dinheiro aqui, revela se um dia Ele poderá me tornar herdeiro das riquezas eternas: “… Foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor.” Mat. 25:23.

Uma lição de economia – Jesus nos deu uma importante lição de economia após fazer a multiplicação dos cinco pães e dois peixes. Depois que todos comeram e se fartaram, Jesus disse aos discípulos: “…Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca.” João 6:12. Embora tivesse todo o recurso do Céu à Sua disposição, não suportava que nem mesmo uma migalha de pão fosse desperdiçada. Deus não aprova o desperdício e o esbanjamento. Grande lição para os Seus filhos em todos os tempos.

TÓPICO 2
PLANEJAMENTO FINANCEIRO – Suas escolhas presentes podem afetar grandemente seu futuro. Por isso, exerça sabedoria também nas escolhas e decisões financeiras. Tenha atitudes e ações que venham ao encontro de seus sonhos e projetos.

O planejamento financeiro familiar deverá estar relacionado com seus objetivos de vida. Pergunte-se: “Em que situação financeira eu gostaria de estar daqui a um ano, cinco anos, dez anos, quando me aposentar? Anote a resposta de cada aspecto dessa pergunta e
planeje uma estratégia para que seus objetivos e sonhos possam ser alcançados.

Antes de você começar a fazer seu planejamento financeiro pessoal, atente para algumas dicas:

1 – Ore a Deus para que Ele dirija seus planos e esteja disposto a ouvir Sua voz. Pois ele sabe o que é melhor para você e sua família.

2 – Coloque a sua fidelidade a Deus em primeiro lugar. Lembre-se: Nosso primeiro compromisso é com Deus, inclusive na questão financeira, devolvendo fielmente os
santos dízimos e tendo um pacto de ofertas.

3 – Saiba que quem administra os centavos poderá gerir milhões.

4 – Cada mês, separe uma pequena parte de suas rendas para uma poupança. Por pouco que possa parecer, ao longo do tempo, lhe permitirá a realização de um sonho.

5 – Não seja escravo das suas emoções. Gaste com racionalidade. Contenha seus desejos.

6 – Sacrifique um prazer imediato por uma realização futura.

7 – Acompanhe seus gastos mensalmente. Tenha certeza de que suas metas estejam sendo cumpridas.

TÓPICO 3
DÍVIDAS – “O rico domina sobre o pobre e o que toma emprestado é servo do que empresta.” Prov. 22:7

A Palavra de Deus nos adverte: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma…” Romanos 13:8. É Deus quem nos chama à atenção, para o nosso próprio bem.

As dívidas e a vida espiritual – Existe uma íntima relação entre as dívidas e a vida espiritual. As dívidas tiram a paz, roubam o sono e faz perder a vitalidade espiritual.

Talvez alguém até imagine que uma coisa não afeta a outra. Puro engano. Dívidas são um laço do inimigo para destruir as pessoas e tirá-las do reino de Deus. As dívidas levam ao desânimo e enfraquecem a fé.

CONCLUSÃO

Aprender a viver contente com o que se possui é um princípio bíblico. Você vai receber todo dia mensagens para comprar o que não precisa, com dinheiro que não tem.

Quando se trata de gerenciamento financeiro, está se falando de colocar Deus em primeiro lugar. Ser financeiramente fiel a Deus é o principal fator na administração da sua vida. Se você colocar Deus em primeiro lugar, Ele dará a você sabedoria e bênção (Prov. 3:5-10; Deut. 28:1-14; Mal. 3:6-12). Reconheça-O como criador, dono de tudo e quem te sustenta.
Administra com sabedoria os recursos que o Senhor tem lhe concedido, lembrando que somos mordomos e um dia iremos prestar contas ao verdadeiro Dono de tudo.

PERGUNTAS PARA DISCUTIR

1. Finanças unem ou separam o casal?
2. Por que Jesus falou tanto sobre dinheiro?
3. Que medidas devo tomar para que o dinheiro seja uma bênção em minha vida?

Bênção ou maldição – “O dinheiro não é necessariamente uma maldição; ele é de grande valor porque, se corretamente usado, pode fazer bem na salvação de almas e em bênçãos a outros que são mais pobres do que nós. Mediante uso inadequado ou desavisado, o dinheiro se tornará um laço para o seu possuidor. Aquele que emprega o dinheiro na satisfação do orgulho e ambição o torna uma maldição em vez de uma bênção. O dinheiro é uma prova constante das afeições.” O Lar Adv. P. 372 “O uso egoísta da riqueza prova infidelidade para com Deus e torna o mordomo inapto para gerir bens celestiais.” Test. Para a Igreja, v. 6, p. 391. “…Não vos deveis permitir ficar embaraçado financeiramente, pois o fato de estardes com dívidas enfraquece a vossa fé e vos leva ao desânimo, e até mesmo nela pensar vos deixa quase desatinado. Deveis reduzir vossas despesas e esforçar-vos por vencer essa deficiência de vosso caráter.” Adm. Eficaz – 254,255.

Versos estudados nesta lição:
I Tim. 6:10; Luc 12:15; Ecles. 5:10; Mat. 6:21; João 6:12; Prov. 22:7; Rom. 13:8

AUTOR: Pr. Gilmar Silveira
Líder de Mordomia – Missão Nordeste