Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 20 – 18 de Maio – As cinco linguagens do amor

Publicado por: rutesouza

AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade.” I Cor. 13: 4-6

Em I João 4:8, encontramos a declaração que diz: “Aquele que não ama, não conhece a Deus, pois Deus é amor”. Esse vocábulo, amor, permeia a sociedade humana em todos os tempos. Essa palavra, tão comum e ao mesmo tempo complexa, é utilizada de diversas maneiras. Algumas vezes pode até mesmo ser usada de forma equivocada, como desculpas, a fim de explicar determinados comportamentos, como por exemplo, o adultério.

Mas, o princípio para compreender o que significa amor está em sua base. Deus é o próprio amor. À medida que o conhecemos e estamos ligados a Ele, não apenas entenderemos sobre o amor, como também amaremos melhor ao nosso próximo.

E quando se trata de família, o amor precisa ser demonstrado todos os dias. Sendo assim, é necessário identificar como cada membro da família percebe a linguagem do amor.

O objetivo do amor não é você conseguir algo que deseje, mas fazer alguma coisa pelo bem-estar daquele a quem ama. (Chapman, 1997)

All You Need is Love

Esse é o título de uma das músicas dos Beatles que tem sido divulgada até hoje pela indústria cultural que influencia a vida da sociedade cada vez mais carente de amor. De fato, tudo o que precisamos é amor. Sentir-se amado é uma necessidade implícita no ser humano. De acordo com Chapman, autor do livro As Cinco Linguagens do Amor, cada pessoa tem uma linguagem mais acentuada, ou seja, uma forma mais latente de entender o amor.

A 1ª linguagem é denominada de Palavra de Afirmação.

As pessoas que percebem o amor através dessa linguagem demonstram amar com palavras de elogio de forma constante. Elas também precisam de palavras que edificam o tempo todo.

Salomão deixou o sábio conselho em Provérbios 18:21: “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”. Quando encorajamos nossos filhos e cônjuge por meio de palavras, inspiramos nossa família a se sentir mais segura e estimulada em muitas áreas da vida.

Qualidade de Tempo é a 2ª linguagem do amor apresentada por Chapman.

O aspecto fundamental nessa linguagem é estar sempre juntos. Estar junto não é ocupar o mesmo espaço físico, mas tem a ver com focalizar a atenção. Quando a família realiza algo junto, precisa dar completa atenção um para o outro. Essa conduta tem a importância emocional que proporciona uma interação essencial para o relacionamento conjugal e também entre pais e filhos.

A 3ª linguagem do amor é receber presentes.

Quando você recebe um presente, tem a certeza de que a pessoa pensou em você. O presente se torna apenas símbolo daquele pensamento. Não apenas a intenção importa, mas o presente acaba se tornando uma expressão de amor. Esses símbolos visuais do amor ganham significados especiais. Existem pessoas que necessitam receber presentes como demonstração do amor de forma mais constante. No entanto, a presença física da pessoa amada em momentos de crise é o maior presente que se pode oferecer a quem se ama.

Formas de Servir é a 4ª linguagem do amor.

Algumas pessoas percebem que são amadas quando alguém realiza algo por elas. As formas de servir são bastante variadas e, quando realizadas com o espírito certo e positivo, tornam-se expressões de amor sem nenhuma dúvida. O próprio Jesus demonstrou esse amor quando serviu aos discípulos lavando seus pés.

O apóstolo Paulo diz: “sirvam uns aos outros, em amor” Gal. 5:13. Esse tipo de linguagem do amor causa um impacto profundo na vida da pessoa. No entanto, não se deve manipular a pessoa que tem essa linguagem do amor mais acentuada, para que ela sirva de forma inescrupulosa a seus próprios interesses.

Por último, está a 5ª linguagem, o Toque Físico.

As escrituras apresentam um Jesus que sabia da necessidade humana em relação ao toque. “Deixai vir a mim os pequeninos… Então, tomando-os nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava” Marcos 10:14-16. Tanto os filhos quanto o cônjuge precisam receber esse tipo de amor. Essa comunicação, através do toque, ajuda no desenvolvimento emocional mais saudável do indivíduo.

Conclusão – Apelo

Descobrir a linguagem do amor do cônjuge, dos filhos e até mesmo a sua própria linguagem é essencial para aprofundar os relacionamentos. O amor não é capaz de alterar o passado, mas pode trazer uma nova perspectiva para o futuro. Quando escolhemos expressar o amor, essa ação pode ajudar a curar feridas e transformar os fracassos em novas oportunidades.
O convite de Deus para cada família é que essa seja uma unidade fundamentada no amor. Compreender a linguagem do amor deixa cada membro da família mais seguro e com suas necessidades emocionais preenchidas, e esse sentimento ajudará a cada um fazer escolhas mais sábias em direção desse objetivo.

PARA DISCUTIR

1. Como posso identificar a linguagem do amor que cada membro da minha família possui para se sentir amado?
2. Quais as atitudes que precisam ser reavaliadas no meu comportamento quando se trata de expressar meu amor pelo meu
cônjuge?
3. Qual a importância de descobrir e compartilhar o conceito das linguagens do amor com seus filhos?

Versos estudados nesta lição:
1. I Coríntios 13:4-6; 2. I João 4:8; 3. Provérbios 18:21; 4. Gálatas 5:13; 5. Marcos 10:14-16;

 

AUTOR: Iara Fontes
Assessora de Comunicação da Missão Alagoas