Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 16 – 20 de abril – Saúde: Fé e tratamentos

Publicado por: rutesouza

SAÚDE: FÉ E TRATAMENTOS

“Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades. ” I Timóteo 5:23

Nas comunidades religiosas é comum ouvir as seguintes frases: “Depressão é falta de Deus”, “Transtornos emocionais é coisa do diabo”, “Ciúme patológico relaciona-se com ardis de Satanás”. Especialmente, os adventistas, entendem a relação de causa e efeito nas doenças físicas, como por exemplo, a alimentação pode causar diabetes e cânceres. Mas, quando se
trata de transtornos emocionais, muitos têm dificuldades de entender que a depressão tem causas relacionadas à genética, à forma como o sujeito se relaciona com o outro, às contingências do ambiente familiar e outras variáveis a depender do tipo de depressão.

Em consequência disto, atribuem erroneamente somente às causas espirituais, isolando o sujeito dos seus relacionamentos, contexto social e familiar, etc. Destarte, buscar ajuda médica e psicológica é vista como falta de fé e desnecessária, corroborando para a piora do quadro clínico ou adaptação à ele e perda da qualidade de vida.

“POR CAUSA DO TEU ESTÔMAGO E FREQUENTES ENFERMIDADES” (I TIMÓTEO 5:23)

O apóstolo Paulo recentemente havia curado pessoas com problemas semelhantes na ilha de Malta (Atos 28:1,8), mas no caso de Timóteo ele não recorre à cura espiritual ou milagres, em vez disso recomenda à Timóteo um tratamento médico recorrente na antiga Roma. Por que o apóstolo Paulo não curou as frequentes enfermidades do jovem? A palavra que Paulo usou no texto grego “píknas” que denota a ideia de frequência, cronicidade e intensa atuação ao longo do tempo, o texto deixa claro que a doença era no estômago e havia outras doenças não mencionadas pelo apóstolo. O que deixa claro que o jovem vinha sofrendo há algum tempo e tinha uma saúde comprometida. Mesmo assim não há uma atuação milagrosa sobrenatural, mas totalmente médica para aliviar as dores do evangelista.

O MEDICAMENTO DE PAULO

Neste episódio, Paulo dá uma única ordem para Timóteo – use vinho –medicamento contemporâneo. A palavra grega usada para vinho é “oinos”, que se referia ao suco de uva fermentado e não fermentado, simultaneamente. Paulo não está liberando o uso de bebida alcoólica, proibidas ao longo da bíblia. (Pv 20:1; 23:29,35). Em vez disso, sua medicação é estritamente medicinal. Ele ressalta um princípio importante neste trecho: a relação da cultura com a religião. O ser humano é no seu tempo, existe eticamente na sua época.

Cientificamente falando, hoje vemos que o vinho não é a melhor alternativa para curar esse tipo de enfermidade. Pelo
contrário, estudos realizados comprovam que a fermentação causada pelo álcool e outras substâncias químicas podem
causar maiores danos à saúde. No entanto, essa era a terapia medicamentosa vigente no tempo de Paulo e, o melhor que ele tinha a oferecer do ponto de vista humano. O uso medicinal do vinho não afetou a fé desses ministros de Deus. Eles não creram menos em Deus. Sua fé não ficou menor. Timóteo não julga Paulo por essa recomendação, no contexto que Paulo curava até com sua presença e manto (At 19:12). Não ficou frustrado ao receber o medicamento ao invés de um milagre.

TERAPIAS CONTEMPORÂNEAS
O medicamento usado por Paulo não tem valor algum para a medicina atual. Ao indicar um medicamento de uso secular, Paulo nos revela que não é falta de fé buscar ajuda em psiquiatras, psicólogos, fisioterapeutas, e quaisquer que seja a especialidade da medicina.

Comumente, ouve-se muitos relatos de pessoas com depressão, ciúme patológico, ansiedade, síndrome do pânico, fobias, problemas conjugais, baixa autoestima, e etc. Elas afirmam que Jesus é seu psicólogo pessoal e não precisam de ajuda de um especialista. Se seguíssemos esse raciocínio isolado, ao nos depararmos com um infarto, diríamos “Jesus é meu cardiologista, não preciso do SAMU”. Percebe-se que há um preconceito para com os profissionais da área psicológica.

Essas falas separam Deus da ciência, como se fossem aversos, mas não são. Jesus afirmou que os doentes precisam de médicos (Mt 9:12). E, Ellen G. White, serva do Senhor, contribuiu financeiramente para formação de John Kellog em uma universidade comum de sua época, no Michigan.

CONCLUSÃO
Desse modo, Deus é dono de toda ciência, sabedoria e poder. E usa qualquer profissional de saúde para ajudar as pessoas em sua qualidade de vida, bem como os princípios de saúde regulares proposto pela Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Ao sentir-se alguma dificuldade física, mental ou espiritual, procure ajuda. Mas não esqueça, entregue à Deus em oração suas dificuldades e, Ele prontamente lhe conduzirá às melhores soluções. (Tg 5:16)

PARA DISCUTIR

1. Que lição podemos extrair do fato de Paulo não ter curado milagrosamente a Timóteo, como fazia constantemente, e sim indicando uma terapia contemporânea de sua época?
2. A bíblia condena o uso de vinho, porém o apóstolo Paulo o usa de forma medicinal. Como isso nos ajuda a examinar todas as coisa e reter o que é bom em nossa época?
3. Como o preconceito às ciências médicas, especialmente, psiquiatria e psicologia, podem prejudicar nossa qualidade de
vida? Como relacioná-las com o poder da oração?

Versos estudados nesta lição:
I Timóteo 5:23 Pv 20:1; 23:29,35; Atos 28:1,8; 19:12; Mateus 9:12; Tiago 5:16

AUTOR: Pr. Josanan Alves
Mordomia Cristã – União Nordeste Brasileira