Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 15 – 13 de abril – Fobias

Publicado por: rutesouza

FOBIAS

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel. ” Isaías 41:10

A palavra fobia se originou do grego phóbos, que significa “medo” ou “terror”. A fobia é uma espécie de medo acentuado, excessivo, desmedido, na presença ou encontro com um objeto, ou ainda mais em situações que causam ansiedade em um grau elevadíssimo. Esse medo excessivo pode ser uma doença, ou pode se apresentar como um sintoma em várias doenças mentais, em um quadro psicótico ou depressivo, por exemplo.

Jesus nos preveniu sobre o perigo do desenvolvimento do medo excessivo em nossas vidas quando disse: “Eu vos tenho falado estas coisas, para que tenhais paz em mim. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo eu tenho vencido o mundo. ” (Jo 16:33).

Vamos aprender um pouco mais sobre esse problema que pode se tornar devastador se não for tratado com seriedade.

“O medo aprisiona, a fé liberta, o medo paralisa, a fé dá poder, o medo desanima, a fé encoraja, o medo debilita, a fé cura.” Harry Emerson Fosdick

Você conhece alguém que tem medo de elevador? Ou de escada rolante? Medo de dirigir?

Enfim, todos esses medos não são razoáveis, não são lógicos, nem correntes. Mas, então, por que o medo? Não tem nada a ver com o elevador, a escada rolante ou o carro, tem a ver com o espaço, o meio em que se constitui a situação. Outro ponto muito importante que não podemos ignorar é a relação com algum outro medo da história psicológica dessa pessoa, do seu desenvolvimento psíquico, como o se sentir fechada, desamparada, sozinha. Qualquer fobia é sempre assim, um medo que está inserido em sua história, nas angústias que passamos durante o curso de nossas vidas, que a nossa mente não conseguiu elaborar. Sendo assim, ela responsabiliza um objeto ou uma situação para esse medo. Características são notadas em todos os indivíduos que apresentam fobias: • Sentimento de pânico incontrolável, terror ou temor em relação a uma situação de pouco ou nenhum perigo real;
• Sensação de que você deve fazer todo o possível para evitar uma situação, algo ou alguém que você teme;
• Incapacidade de levar sua vida normalmente por causa de um medo ilógico;
• Presença e aparecimento de algumas reações físicas e psicológicas, como sudorese, taquicardia, dificuldade para respirar, sensação de pânico e ansiedade intensos;
• Saber que o medo que sente é irracional e exagerado, mas, mesmo assim, não ter capacidade para controlá-lo.

Mas você pode então está se perguntando, qualquer medo que eu sinta de alguma coisa é uma fobia? Existe diferença entre medo e fobia? O medo é uma reação natural do ser humano. Na realidade, o medo atua como um aliado, um mecanismo de defesa, serve como um sinalizador para precauções contra perigos reais. Podemos dizer que o medo é o resultado de uma ameaça à rotina da existência. Já a fobia, como falamos anteriormente, é
uma reação excessiva causando uma ansiedade incontrolável, consequentemente, ela atrapalha o curso da vida de qualquer pessoa que a tenha. Há quem diga que muito
desses problemas psicológicos são causados por traumas. Você concorda? Na realidade não existe bem um trauma.
O importante não é pensar em um fato que aconteceu, mas na dificuldade que podemos ter adquirido em nosso desenvolvimento para se construir com sujeito. Essas dificuldades
que vão gerando angústias. Então não podemos pensar em um trauma, mas em uma sucessão de acontecimentos, questões ou problemas. Vejamos alguns tipos:
1. Medo intenso de situações sociais (Fobia Social)
2. Medo de lugares cheios de pessoas (Agorafobia)
3. Medo de lugares Fechados (Claustrofobia)

Você conhece alguém que tem alguma fobia estranha que poderia compartilhar com o grupo?

Quando e como se deve tratar a fobia? Quando percebemos que nossa vida está ficando limitada a essa dificuldade, está interferindo em outras áreas comuns da vida, como trabalhar, se relacionar, comer, dormir ou sair.

Em casos mais graves, uma consulta a um psiquiatra será necessária para a utilização de medicamento para amenizar os sintomas. No entanto, uma terapia, como um bom profissional da área psicológica, pode ser bem mais eficaz, levando a pessoa a desaprender o medo.

Parte do tratamento pode levar a pessoa a ter contato com a fobia de maneira repetitiva para que o medo seja desafiado e enfraquecido acabando com o ciclo vicioso de reforço negativo que mantém os sintomas.

Na Bíblia, podemos encontrar um tratamento como esse sendo executado pelo próprio Deus a um profeta. Em I Reis capítulo 19, Elias foge de Jezabel com medo da morte e se esconde em uma caverna. Depois de sucessivas manifestações do poder de Deus, o Senhor fala com Elias por duas vezes com a seguinte pergunta: “Que fazes aqui Elias?” (v.9 e 13); depois o desafia a vencer seu medo/fobia – pois ele está isolado e pedindo a morte e não simplesmente protegendo a sua vida – enfrentado o que anteriormente o fizera fugir : “Vai, volta ao teu caminho…” (v.15). Como Deus tem lhe chamado a desafiar seus medos?

Conclusão – Apelo

Temos que entender que nossas emoções negativas causadas por esse mundo de pecado, acumulam-se em nossos corações, devido a um passado sofrido, a traumas, abusos, perdas, rejeições, injustiças, dor, raiva, sentimentos de vingança, baixa autoestima, enfim, todos
esses sentimentos e emoções trazem consequências que influenciam o nosso desenvolvimento, causando um desequilíbrio emocional em nossas vidas, fazendo-nos desenvolver fobias. Mas temos um Deus maravilhoso que se compadece de nós e nos tem provido meios de sermos vitoriosos em nossos temores. “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós. ” (I Ped. 5:7)

PARA DISCUTIR

1. Como, de maneira prática, minha vida espiritual pode me ajudar a vender os medos/fobias da vida moderna?
2. Como a vida em comunidade podeme ajudar a desenvolver minha fé em Deus ao ponto de lançar sobre ela todas as minhas necessidades”?
3. O que nosso pequeno grupo pode fazer para ajudar a pessoas que sofrem de fobias patológicas?
4. É possível viver uma vida cristã saudável e desenvolver fobias?

 

Versos estudados nesta lição:
João 16:33; Isaías 41:10; 3I Reis 19:9, 13 e 15; I Pedro 5:7

 

Nara Lima
Gerente de RH Missão Piauiense