Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição PG nº 14 – 06 de abril – VOCÊ ESTÁ ESTRESSADO?

Publicado por: Meirinaldo Júnior

VOCÊ ESTÁ ESTRESSADO?

Alguma vez você já desejou que seu dia tivesse 30 horas, em vez de 24? Será que 30 horas resolveriam seus problemas? Será que não ficaríamos frustrados da mesma forma, preenchendo essas seis horas a mais e caindo na mesma armadilha? Mais horas no dia não seriam suficientes para cumprirmos todas as nossas obrigações e planos. Passamos a viver nos submetendo ao urgente, abraçando um estilo de vida cada dia mais intenso, nos esforçando mais, nos estressando mais, sem tanta alegria em cumprir nossos compromissos.

Meditando sobre o fim do trabalho terrestre de Jesus, Ele próprio nos deu a resposta do porquê finalizar naquele momento, no qual, aos nossos olhos, ainda havia tanto a fazer.

Dependência – João 8:28 Jesus disse… “nada faço por mim mesmo; mas falo como o Pai me ensinou”.

Jesus andou em perfeita harmonia, e em total dependência do Pai.

Obediência – João 15:9,10

“Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor. Se guardares os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço. ” Jesus alinhou a sua vida com a do Pai e obedeceu à Palavra, o que lhe trouxe total realização.

Propósito – João 8:14
“…porque sei donde vim e para onde vou.” Toda ação de Cristo foi baseada no seu propósito. Ele não discutiu se tinha tempo ou não para aceitar suas atividades. Sua atividade foi deliberada: por essa razão eu vim!

O urgente ataca ferozmente a nossa vida e por conta disso, acabamos negligenciando o que realmente é importante. Se pararmos para avaliar, veremos claramente seus efeitos em nossos relacionamentos.

 

É obvio que Jesus conhecia Suas prioridades e as colocava na ordem correta. Você é uma pessoa estressada? Viciada em trabalho? Você dedica um dia da semana a você mesmo ou a seu cônjuge para saírem juntos, conversarem, se divertirem, namorarem – ou até mesmo para os seus amigos e irmãos? Você pode ser considerado um modelo para sua família e amigos nesse ponto?

Somos envolvidos pela tirania do urgente. Ela ataca ferozmente a nossa vida e, por conta disso, acabamos negligenciando o que realmente é importante. Se pararmos para avaliar, veremos claramente seus efeitos em nossos relacionamentos. Trabalhamos cada vez mais, para alcançar cada vez menos significado no que fazemos. Nossos relacionamentos com nossos pais, cônjuges, filhos, irmãos, amigos, diminuem assustadoramente em qualidades e quantidade.

Você está se sentindo assim? Avalie honestamente a sua vida. Será que você está andando ou correndo (estressado) pela estrada da vida? Se for a segunda opção, faça como Jesus, saia na primeira oportunidade que Deus te der. Acredito que teoria sem aplicação não é muito útil. Gostaria de sugerir algumas atividades práticas. Analise-as para ver se elas se aplicam ao seu contexto, se há como adaptar algumas ao seu estilo de vida:
1. Deus demonstrou que administra seu tempo com sabedoria e eficiência. Nós também podemos fazer o
mesmo.
2. Precisamos separar tempo para o lazer – para criar, comunicar, descansar e nos relacionar. Lazer também foi uma prioridade de Deus.
3. Além de orar, avalie friamente, compreendendo que o problema é real. E que não é a escassez de tempo o seu problema e sim prioridades, para que você faça as melhores escolhas, aquelas que te levarão ao labor e fardo de Cristo (que é suave e leve) e não ao estresse infernal!

Então, o que você pode fazer para melhorar a qualidade e a quantidade de tempo com você mesmo, com sua família e igreja?

Em meio de todas as nossas provações, temos um infalível Ajudador. Não nos deixa lutar sozinhos com a tentação, combater o mal, e ser afinal esmagados ao peso dos fardos e das dores. Conquanto se ache agora oculto aos olhos mortais, o ouvido da fé pode-Lhe ouvir a voz, dizendo: Não temas; Eu estou contigo. “Eu sou […] o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. DTN, p. 340

Para Discutir:

1. Como, de maneira prática, minha vida espiritual pode me ajudar a vender os medos/fobias da vida moderna?

2. Como a vida em comunidade pode me ajudar a desenvolver minha fé em Deus ao ponto de lançar sobre ela todas as minhas necessidades”?

3. O que nosso pequeno grupo pode fazer para ajudar a pessoas que sofrem de fobias patológicas?

4. É possível viver uma vida cristã saudável e desenvolver fobias?