Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição de PG nº 40 – 5 de outubro – Conflitos conjugais

Publicado por: rutesouza

CONFLITOS CONJUGAIS

“Esta é a minha oração: Que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção”. Filipenses 1:9

Viver só em amor e não apresentar problemas e dificuldades no cotidiano da vida conjugal é muito difícil. A verdade é que são muitos os fatores que podem contribuir para que os conflitos se apresentem e se instalem na vida a dois. Se o casal não estiver atento a todos os pontos que poderão prejudicar o relacionamento, com toda certeza, terão muita dificuldade para manter a união conjugal.

Por que os conflitos acontecem?

O psicólogo Dan Wile, em seu livro “Depois da Lua–de-mel”, expressa: “Ao escolher um parceiro para toda vida, você inevitavelmente estará escolhendo um determinado conjunto de problemas insolúveis com os quais estará se envolvendo nos próximos, 10, 20, ou 50 anos.”

Os desentendimentos, na maioria, não resultam de incompatíveis diferenças de opiniões. Quase sempre são produzidos por insuficiente habilidade de dialogar, temperamentos
fortes, assuntos polêmicos ou intransigência.

Os casamentos dão certo até o ponto em que os problemas que você escolheu são possíveis de enfrentar.

Vejamos alguns dos conflitos mais comuns:

 Mal-entendidos: quando um dos dois não diz de forma clara o que pensa ou sente, logo, o outro faz suposições em vez de perguntar.
 Defesa de território: causadas por invasões na forma de mensagens começadas por  “VOCÊ”.
 Sentimentos feridos: por causa de comentários que insultam, criticam e acusam.
 Raiva crescente: Se um dos parceiros está fragilizado ou emocionalmente fraco, pequenas coisas podem ser suficientes para desencadear um conflito. Da mesma forma, se um dos dois estiver cansado ou preocupado com alguma coisa, uma única frase acusadora ou um comentário áspero poderão dar início a um grande problema.

Outros que tendem a ser mais explosivos:

Divisão de tarefas
 Quando os problemas são apresentados através de queixas ou exigências e não através de pedidos.
 Quando determinações são feitas, impondo ao outro realizar o que a outra pessoa quer.

Tempo e dinheiro
 Quando um ou ambos são escassos.
 Quando um ganha mais e se acha no direito de gastar mais.
 Quando a decisão de um dos companheiros resulta em grandes perdas.

Sexo
 Quando as ideias são diferentes sobre a frequência ou comportamento sexual.

O que fazer para alcançar a solução dos problemas:

 Ao falar sobre o problema, faça uma abordagem moderada, equilibrada e não áspera.
 Lute sempre pela reparação do relacionamento. – Controle as reações físicas durante as discussões tensas, para evitar problemas maiores.
 O seu alvo deve ser chegar à conciliação.
 Seja mais tolerante com os defeitos dos outros.

Seguindo esses conselhos, vocês provavelmente irão descobrir que os problemas podem ser resolvidos e assim deixarem de interferir em sua felicidade conjugal.

“Todos devem cultivar a paciência pela prática da paciência. Sendo bondosos e perdoadores, o verdadeiro amor pode ser mantido quente no coração, e desenvolver-se-ão no coração qualidades que o Céu aprovará.” (The Review and Herald, 2 de Fevereiro de 1886)

PARA DISCUTIR

1. Comente com seu grupo mais algumas sugestões de como a comunhão com Deus ajuda
a resolver os problemas conjugais.
2. Como evitar que a rotina da vida se torne uma ferramenta que destrói relacionamentos?
3. De que forma o casal pode influenciar os filhos para que se tornem grandes missionários na comunidade?

“Não procureis obrigar o outro proceder como desejais. Não podeis fazer isso e ao mesmo
tempo conservar o amor mútuo… Não permitais que a vossa vida conjugal seja de  ostentação. Se o permitirdes, sereis ambos infelizes. Sede bondosos nas palavras e delicados no trato, renunciando a vossos próprios desejos.” (LA, p. 106, 107)

Versos estudados nesta lição: Filipenses 1:9

AUTOR: Pr. Marcos Elias
Mordomia e Família
Associação Cearense