Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

Lição de PG nº 35 – 31 de agosto – Disciplina Equilibrada

Publicado por: rutesouza

DISCIPLINA EQUILIBRADA

“Quem acolhe a disciplina mostra o caminho da vida, mas quem ignora a repreensão desencaminha outros.” Prov. 10:17 (NVI)

Em essência, quando falamos em disciplina, estamos falando no governo de si mesmo. A verdadeira disciplina consegue mais do que obediência. Os pais podem usar do seu autoritarismo para com os filhos e conseguir que, naquele momento, a sua vontade prevaleça. Mas em sua ausência esses filhos tomam decisões completamente opostas. Disciplinar é muito mais do que levar os filhos a uma obediência “aparente”. Disciplina é algo que acontece de dentro para fora. É quando, voluntariamente, os filhos compreendem o que fazer mediante determinadas situações. É uma consciência de que obedecer é o melhor caminho.

A disciplina é um assunto que requer muito equilíbrio e a sua prática é um constante desafio. Nesse estudo de hoje, analisaremos o que é uma disciplina equilibrada. O temor a Deus produz o equilíbrio em todas as áreas de nossa vida.

A Disciplina e a Palavra de Deus

A Bíblia claramente enfatiza a importância da disciplina; é algo de que todos precisamos para que sejamos pessoas produtivas, e é muito mais fácil se aprendido quando somos mais jovens (Prov. 22:6). Crianças que não recebem disciplina muitas vezes crescem rebeldes, não têm respeito à autoridade e como resultado não estão dispostas a uma obediência voluntária. O próprio Deus, nosso Pai Celestial, usa a disciplina para nos corrigir e conduzir
ao caminho certo e para encorajar o arrependimento por nossos atos errados (Provérbio 6:23, 12:1, 13:1, 15:5).

Não podemos perder de vista que a disciplina de Deus é amorosa e tem objetivo redentivo. Se a sua aplicação resultar em medição de força, poder e autoritarismo por parte dos pais, ela perderá o objetivo. Se for recebida pelos filhos sem o devido temor e respeito, produzirá amargura e descontentamento.

Na Palavra de Deus, encontramos a verdadeira motivação para uma disciplina equilibrada: amor paterno e questão de honra dos filhos. (Prov. 13:24, Efes. 6:1, Êxodo 20:12).

Disciplina equilibrada

A Bíblia ao tratar dos deveres familiares, traz regras claras para uma disciplina equilibrada dos filhos. E para que isso ocorra, o conselho bíblico alerta também os pais. Vejamos Colossenses 3:20,21. Percebe-se que para que haja um equilíbrio nesse assunto, é imprescindível que pais e filhos acatem o princípio bíblico.

É muito comum encontrarmos lares onde existe um verdadeiro clima de acusações. Vejam essa frase: “Na casa de meus pais era assim”. E a resposta que vem normalmente é essa: “Hoje é diferente”. Bem, vale lembrar que isso não é dito com o tom de voz que você está ouvindo enquanto alguém está lendo! A Bíblia, no entanto, propõe um caminho diferente. Se pais e filhos buscarem a trilha do diálogo, do entendimento, respeito e, acima de tudo, temor ao Senhor, não haverá maiores dificuldades em seus relacionamentos. Um fator importante a ser considerado é a bi empatia, ou seja, eu me coloco no lugar do outro e o outro se coloca no meu lugar.

O lado amargo da disciplina

Talvez você já tenha sido vítima daquela brincadeira na qual uma pessoa oferece um bombom e ao colocar na boca você se dá conta de que é algo muito amargo. Imediatamente você se livra lançando fora. No livro de Hebreus 12:11, somos informados de que a disciplina, logo no seu início, é como um bombom amargo. A reação natural de qualquer pessoa é rejeitar. No entanto, com o passar do tempo, os resultados positivos começam
a surgir como uma planta em meio ao deserto.

No mínimo, o que podemos fazer diante de uma disciplina é parar para refletir, ponderar, analisar. Admitir que precisamos ser corrigidos custa caro a nossa natureza humana manchada pelo pecado.

Se a disciplina está partindo de pessoas que nos amam, feita no devido espírito, podemos concluir que essas pessoas estão sendo instrumentos de Deus para o nosso bem. (Prov. 1:8).

PARA DISCUTIR

1. A proibição resolve?
2. O que fazer? Reprimir ou punir?
3. Como conquistar um adolescente?

Conclusão – Apelo

Pais e filhos, quando estão em sintonia com a Palavra de Deus, encontram maiores possibilidades para um relacionamento saudável. Mesmo que o passado esteja
carregado de momentos ruins, o presente deve ser vivido com a sabedoria encontrada na Escritura Sagrada.

É natural que os pais esperem que seus filhos sejam obedientes. Por outro lado, os filhos esperam contar com a compreensão dos pais. O equilíbrio entres essas expectativas é possível quando o caminho a ser trilhado está baseado no temor a Deus, respeito, humildade, diálogo e compreensão.

Se para essa área da vida, pais e filhos estiverem necessitando de sabedoria, vale lembrar a promessa bíblica encontrada em Tiago 1:5. Peça, nesse momento, entendimento para ter um relacionamento equilibrado, de maneira que Deus seja glorificado em sua vida.

“Homens e mulheres que professam reverenciar a Bíblia e seguir-lhe os ensinos, deixam
em muitos aspectos de praticar o que ela requer. Na educação dos filhos, seguem sua própria natureza perversa, em vez da revelada vontade de Deus… A Bíblia expõe regras para a correta disciplina dos filhos. Fossem esses preceitos de Deus acatados pelos pais, e veríamos hoje diferentes classes de jovens apresentar-se na arena de ação.” TS1, p. 510.

Versos estudados nesta lição:
Prov. 6:23, 10:17, 12:1, 13:1, 15:5, 22:6; Prov. 13:24; Efes. 6:1; Êxodo. 20:12; Colossenses 3:20,21; Hebreus 12:11; Prov. 1:8; Tiago 1:5

 

AUTOR: Pr. Edimir Tavares
Distrital Associação Pernambucana