Sede Administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia – Nordeste

União Nordeste Brasileira

05 – INTIMIDADE

Publicado por: Meirinaldo Júnior

E, partindo dali, chegou à sua pátria, e os seus discípulos o seguiram. E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm estas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes e na sua casa. E não podia fazer ali nenhuma obra maravilhosa; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando. (Marcos 6.1-6)

Vamos conversar sobre intimidade com Deus. A primeira questão que mexe com todos é: Você é íntimo de Jesus?

Nessa passagem, Jesus foi para a sua terra para pregar, curar os enfermos e expulsar os demônios. Mas, chegando ali, não pôde curar, nem tampouco fazer muitos milagres. Por quê? Por causa da familiaridade. Ele mesmo nos explicou esse princípio: “O profeta não tem honra na sua própria casa”, porque a familiaridade gera incredulidade. Tal falta de fé foi tão espantosa que “Jesus se admirou da incredulidade deles”. Isso não era comum! Por que eles eram incrédulos? Porque estavam muito familiarizados com Jesus.

Aqui vale um alerta e devemos prestar atenção, pois essa é exatamente a nossa geração! A nossa nação é “familiarizada” com Jesus da pior maneira. Não digo com isso que não haja gente ainda não alcançada pelo evangelho, pois ainda há muitos a quem a verdade nunca foi anunciada, principalmente no interior de alguns estados. Porém, na grande maioria, “todo mundo” sabe quem é Jesus. Quando você entra em um consultório, por exemplo, pode ver ali uma cruz pendurada; se alguém vai a um hospital, pode ver lá uma cruz pintada na parede. Vemos a cruz como um enfeite no pescoço e até nas tatuagens. Homens e mulheres estão familiarizados com Jesus. O problema é que esse tipo de familiaridade gera incredulidade!

Contrastando com a familiaridade, existe a intimidade, e esta gera fé! Os discípulos de Jesus, quanto mais íntimos eram dele, mais criam e tinham a fé fortalecida. Eles cresceram tanto em intimidade que receberam o Espírito do Senhor, tornaram-se os apóstolos de Jesus, que espalharam o evangelho por todas as nações, tanto que você e eu recebemos essa palavra hoje, mais de dois mil anos depois e em uma terra distante, que é o Brasil.

Nós somos íntimos ou familiarizados com Jesus? A familiaridade também resulta em desvalorização, enquanto que a intimidade faz justamente o oposto, pois gera uma valorização importantíssima.

Henry Ford, por exemplo, quando começou a produzir automóveis, sabia que cada carro valia muito, pois havia muito poucos carros. Naquela época, quem tinha um automóvel era o único da cidade! Quem visse o motorista ficava de boca aberta, impressionado com aquela máquina que se movia por si só. Acredito que, se ficasse estacionado, logo se juntaria um grupo a observar e apontar, enquanto outros diriam: olhe aqui, isso anda sozinho e… olhe ali o homem que é dono do automóvel! Ele se tornaria até popular. Quanto deveriam pagar só para dar uma voltinha? Talvez uma pequena fortuna.

O que valorizava tanto o carro? A falta de familiaridade. Hoje, há mais de um bilhão de carros transitando pelo planeta. Todos já viram um carro e já andaram em veículos automotivos. Por aqui, os carros são muito comuns. Você deve ver carros diariamente. Eu mesmo dirijo um todos os dias. Em certas metrópoles, alguns gostariam de nem ver carro algum! Não aguentam mais vê-los. Estamos familiarizados com automóveis, com isso, eles perderam o valor. Não é como funcionava na época de Henry Ford. Por quê? Porque agora é algo comum. Talvez a nossa geração tenha transformado Jesus em uma pessoa comum e a cruz e o nome dele tenham perdido o valor na mente das pessoas por causa de tamanha familiaridade!

A intimidade, porém, gera valor. Sou íntimo da minha esposa, Valéria, e ela é a pessoa mais preciosa do planeta Terra para mim! Eu não a trocaria por nada, pois nem há como medir o valor dela! Ela é por demais preciosa. Por quê? Porque eu sou íntimo dela. Quanto mais íntimo, mais valioso.

A pergunta continua: Você é íntimo ou é familiarizado com Jesus? O familiarizado sabe tudo sobre Jesus! Ele até fala sobre Jesus várias vezes, mas não fala com Jesus.

Deus falou comigo assim: “Douglas, você está falando muito sobre mim, mas você está falando pouco comigo”. Nós estamos afundados em informações nesta era da internet, da comunicação e, por conta do fácil acesso, temos muitos dados sobre Jesus, informações que os irmãos do passado nunca sonhariam ter! Tenho no meu celular um aplicativo com quatro versões da Bíblia, dicionário de hebraico e grego. Tudo na palma da minha mão! Porém, esses mesmos irmãos foram mais íntimos de Jesus do que nós poderíamos sonhar em ser.

Você fala mais sobre Jesus ou fala mais com Jesus? Intimidade requer tempo a sós, muita conversa e segredos que só ele e você sabem: as revelações dele para você. Intimidade requer tempo de qualidade.

Há uma sentença sobre intimidade registrada no evangelho de Mateus 7.22-23: Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?

O choque está na resposta de Jesus: Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal! Não sei quanto a você, mas eu leio esse texto com muito temor no coração. Isso é muito sério! Essa turma que foi rejeitada profetizava, curava e “sabia tudo” sobre o Senhor! Mesmo assim, ele dirá: “Eu não conheço você! Você não falava comigo, não havia convivência entre nós e nem intimidade. Eu não conheço você e é por isso que você praticava iniquidades como se fosse normal. Eu não conheço você”. Lembre-se que o reino é de Deus e só entrará lá quem o conhecer, quem for íntimo.

AJUSTE A CÓPIA CONFORME O MODELO

Quando foi a última vez que você falou com Jesus? Quando você passou um tempo considerável sozinho com Deus?

Como foi esse tempo? Foi um monólogo em que você falou sozinho? O que você pode fazer para aumentar a sua intimidade com Jesus? Há alguma área da sua vida em que haja iniquidade, um pecado com o qual você acabou se acostumando e nem pede mais perdão devido à sua familiaridade com Jesus? Confesse a ele, confesse a um irmão mais velho. Peça ajuda e busque estar a sós com Deus.

ORE COMIGO:

Senhor Jesus, confesso que fiquei assustado com esse contraste entre familiaridade e intimidade. Quero ser íntimo do Senhor, e não familiarizado. Quero crer no Senhor com o tipo de fé salvadora que me conduza à sua presença diariamente, de modo que meu estilo de vida seja diferente dos outros. Que eu seja santo, como o Senhor é. Não consigo orar como você orava quando estava aqui na terra, mas posso contar com o mesmo Espírito que o acompanhava e guiava. Ajuda-me a conhecê-lo melhor, a buscar a sua presença e a ser íntimo. Que eu seja uma cópia fiel de Jesus, no nome de quem oro, amém.